quinta-feira, 4 de junho de 2015

Um maduro convicto

Bom pessoal, como todos vocês sabem estou trabalhando novamente! Graças a Deus né, não aguentava mais a situação do desemprego. 

Tenho plena consciência que minha idade não ajuda muito. Meus quase 40 anos já pesam no mercado de trabalho. No Brasil é tudo "muito engraçado", se és jovens, não tem experiência suficiente para ocupar a vaga, se és maduro, já está velho para o cargo. Não sei o que o RH das Empresas querem. Bom, na verdade eu sei, o "QI" poderoso é o que manda para preencher vagas. Mas enfim, consegui meu lugar ao Sol.

Estou trabalhando na área administrativa de uma Empresa de móveis planejados. O departamento já é meu velho conhecido, mas a área em que a empresa faz parte é totalmente nova para mim. Estou aprendendo muitas coisas a respeito de móveis. Coisas que eu nem imaginava. Agora já sei olhar um móvel na loja e reconhecer se é bom ou não. Fora os termos técnicos da área que no começo confesso que foi difícil decorar mas agora já faz parte do meu cotidiano.

Tudo no começo é difícil, mas com jeitinho a gente aprende e vai levando numa boa. O que me causa um pouco de desconforto é o relacionamento com pessoas bem mais novas do que eu. Isso mesmo, pessoas na flor da idade. A impressão que eles passam é que eles sabem tudo e a gente não sabe nada. Chegam a serem um pouco maldosos em certas ocasiões.

Até o meu chefe é mais novo do que eu. Sinto-me, as vezes constrangido com essa nova situação. Não sei se alguém que estará lendo esse blog já passou ou passa por esta situação. Pô! É muito chato isso. Muitas vezes tenho que me fazer de morto para não sofrer. Eles chegam acumulo de não me escutar ou de fingirem que estão escultando o que eu falo. Fico muito chateado. Sinto-me um peixe fora d´água! 

Mas bem, vou tentar passar por cima dessa dificuldade e seguir em frente. Preciso trabalhar, quem não precisa né? Beijos para todos!!!



domingo, 25 de janeiro de 2015

Depois da tempestade sempre vem a bonança


Pessoal, estive afastado do blog não somente por falta de idéias e de assunto, mas estive passando por um fase muito difícil que pouca gente sabe: "o desemprego". Já há dois anos venho sofrendo pela falta de oportunidade no mercado de trabalho. 

Puxa vida! Foi uma fase dura, quase 3 anos desempregado. Já não aguentava mais essa situação. Fiquei me sentindo um inútil, um lixo, sem perspectiva nenhuma. Eu já estava perdendo a esperança. Entrevistas apareciam mas nada de me chamarem para trabalhar. Sei que já estou numa idade meio complicada para o mercado. Ter quase 40 anos no Brasil, infelizmente, já é considerado improdutivo. As empresas não se importa com sua bagagem de conhecimentos. Quando se diz a idade você já é descartado. Dias, meses se passaram e as oportunidades não vinham. Pensei até em cometer loucura.

Fiz contato com várias pessoas que também estavam na mesma situação e por incrível que parece tinham os mesmos sentimentos que eu. Já praticamente desolado e sem futuro e não tinha vontade de fazer nada. Nem mesmo escrever no meu blog. Vocês devem ter percebido meu afastamento e ausência nos blogs dos amigos. 

 Mas graças ao meu Bom Deus, em meados do ano passado, recebi uma oportunidade. Upa!!!! Estou trabalhando! Tudo de repente mudou. Voltei a ter gosto pelo mundo e pela vida. Aos poucos estou voltando à minha vida normal. Aquela sensação de estar excluído está indo embora. Nem acredito! Gente, estar desempregado é uma barra muito grande. Senão fosse Deus e meu companheiro eu estava perdido. 

Não é só a questão financeira, mas a falta de emprego acaba com nossa auto-estima. Trazendo a depressão e exclusão social. Estou muito feliz e cheio de esperanças novamente. Estou num ramo e aprendendo novas rotinas.

Quero agradecer a Deus, ao meu companheiro e a Vida! 

Abraços à todos!

domingo, 25 de maio de 2014

Gostos e Maus gostos




Olá amigos!!! Olha eu aqui de novo depois de um tempo sem postar. Confesso que eu não estava nem um pouco inspirado para postar no meu Blog. Eu não encontrava assunto e  ânimo para escrever. Mas bem, estou aqui de volta em busca de um novo tema.

Sabe pessoal, ultimamente estou um pouco preocupado com nossa população em geral, em especial os Brasilianos. Estou acompanhando atentamente aos noticiários, aos debates, aos vídeos sobre modas e as músicas em geral. Meu neurônios estão perturbados, confusos, enlouquecidos e cansados de tanta coisa ruim que estou sendo submetido ultimamente. Não sei se estou ficando ultrapassado ou realmente o povo está sem gosto para tudo. Chego a refletir e a me auto-questionar: Será que ainda não me desvinculei do passado? Minha idade já está pesado nas minhas opiniões e gostos? Será que estou sendo crítico em excesso ou realmente a coisa está feia e o brega e a falta de bom gosto está  imperando.

Hoje escuto coisas que não considero músicas como: funk e sertanejo universitário. Nas rádios só tocam isso. Não existe letra, as notas musicais são sempre as mesmas, não tem melodia enfim, não tem música. Expressões como "momozinho", "lepo lepo", "na gaveta", "beijinho no ombro", minha nossa, isso estão chamando hoje em dia de música. Aff, que lástima! Onde estão nossos grande compositores? Michael Sulivan, Chico Buarque, Caetano Veloso e outros. Cadê as grandes vozes desse Pais? Estão sucumbidas ao silêncio. Ahhhh, já sei! Não fazem sucesso mais né! Não vendem discos e por isso estão guardados nos porões das grandes gravadores. É melhor colocar de escanteio do que patrocinar músicas consideradas de "tiozinho" e os jovens não vão compreender e por sua vez não irão para as paradas de sucesso. Então em resumo somos obrigados a conviver e a escutar esses tipos de "músicas". As mídias querem é vender não importando a qualidade ou a cultura imposta. 


Que saudades das novelas antigas, que traziam histórias bonitas de superação e de amor. Janet Clair, Dias Gomes, Cássio Gabus Mendes já se foram e levaram com eles a arte de escrever grandes novelas. Essas obras entravam em nossas casas e nos prendiam por meses na frente da TV. Quem não ficou ligado querendo saber quem matou Odete Roithman? Quem matou Salomão Ayala? Nossa, que nostalgia né! Mas enfim eram obras primas que valiam a pena assistir. Hoje estamos sendo agraciados por novelas sem pé e sem cabeça. Confusões, intrigas e sexo são expostos com tanta naturalidade que ficamos muitas vezes estáticos diante de tanta bobeira. Não acrescentam nada culturalmente falando. Com valores totalmente invertidos, trazem tudo o que ruim para nossos lares. Palavrões, meio mocinhos, personagens com distúrbios psiquiátricos e dotados de um caráter duvidoso é normal nessas histórias. Enfim, vemos de novo o mau gosto imperando.


Gente, e os textos e certos comerciais políticos? Estão assassinado a língua portuguesa. Erros e mais erros são distribuídos sem o menor puder aos telespectadores e internautas. Basta citar uma expressão que nossa digníssima quer que seja chamada: "Presidenta". Aonde foi que ela encontrou esse termo? E o pior que a educação sempre foi ruim, e a governante do nosso País ainda não ajuda e acaba esculhambando com a Língua. O que serão de nossos jovens? Aff!

Para finalizar esse post, quero citar também a moda ultimamente usada por celebridades e por pessoas comuns. Nossa, quanta cafonice e falta de bom gosto. Como citei no post de nossa amiga Madi, os brilhos e os decotes exagerados estão na maioria dos modelitos. Confundem em ser exagerado com ser chic. 





Saltos plataforma, mini shorts com paetês, bluzinhas de alcinhas espeta queras, é o que mais vejo nas ruas. Que brega!!!!

Pois é pessoal, a coisa está cada vez pior. Os gostos estão diferentes e vai de mau a pior. Gente, o que vocês acham? Estou exagerando? Deixem suas opiniões!

Abraços para todos!!!!!!

sexta-feira, 21 de fevereiro de 2014

Nova casa, nova vida


Olá Pessoal! Peço desculpas pelo longo período sem postagem. Eu estava meio assoberbado com mudanças. Mudanças mesmo! Sabe aquela coisa maravilhosa de desmontar móveis, encaixotar louças e etc.... Todo mundo "adora" fazer isso né? KKKKK..... Que trabalho cansativo é esse. E depois de se mudar leva aquele tempo longo para colocar tudo no lugar. Pois é pessoal, foi o que aconteceu comigo. 

Além de tudo isso tem um agravante. O meu digníssimo pedreiro não terminou a reforma e me mudei assim mesmo. Então já viram né. Coisas que ainda estão nas caixas, móveis que não posso montar ainda. É um transtorno geral.
Mas com certeza tudo isso vai passar. E ainda vou dar muita risada com essa situação. 

Bom, o mais importante de tudo isso, é que mudei para melhor. Eu e meu companheiro morávamos em um bairro meio que distante, quase a 1 hora e meia do centro da cidade e agora estamos morando no centro. Putz, vocês não sabem como é bem diferente. Morar no subúrbio e se mudar para o Centro comercial da cidade. É muito bom!!! Tudo que preciso está por perto. Praticamente tem um Shopping a poucos metros da minha casa. É uma delícia.  

Com isso muda-se toda a vida. Tudo fica mais agitado, as compras ficam mais rápidas. Tudo sem stress e pressa. É até meio que engraçado, coisas que não eu não via antigamente agora posso notar. Como por exemplo, pessoas no centro correndo para lá e para cá, fatos curiosos e engraçados como pessoas vestidas meio que sem noção, as famosas "primas" na praça central, esperando seus clientes. Começo então a ficar mais atento a situações que passavam desapercebidas. 

Mudanças para melhor são sempre bem-vindas em nossas vidas. Casa nova, traz novas esperanças, novas rotinas, em nossas vidas. O cheiro do novo, pode nos alimentar de alegria e abrir novos horizontes. É isso que estou sentindo e desejando. Paredes, janelas, cômodos novos, lugar novo, enfim vida nova. 

Olha, estou escrevendo aqui e posso escutar ao longe o movimento do calçadão. O som dos veículos e dos passos apressados do povo se confundem com o canto dos passarinhos que também consigo escutar dentro do meu novo lar.

Espero também que esse novo endereço me proporcione uma oportunidade de trabalho. Acredito que quando morava longe as chances eram bem menores. Pelo menos, já é alguma coisa ao meu favor.

A casa que eu morava anteriormente, era boa, grande, espaçosa. Mas por ser longínquo dificultava minha locomoção até o centro da cidade. Agora não, está tudo praticamente na porta da minha casa.

Mais uma vez peço desculpas para todos, e agora estou de volta do Blog. Agradeço também e mando um beijo especial a minha amiga Margot que nesse tempo não esqueceu de mim e sempre me isentiva a escrever. 

Beijos à todos!

terça-feira, 17 de dezembro de 2013

Fim de ano: É hora de festejar!



É Dezembro, então já escuto aquelas famosas músicas de Natal:


Bate o sino pequenino, sino de Belém

Já nasceu Deus Menino para o nosso bem
Paz na Terra pede o sino alegre a cantar
Abençoe Deus Menino este nosso lar


Hoje a noite é bela, juntos eu e ela
Vamos à capela, felizes a rezar
Ao soar o sino, sino pequenino
Vai o Deus menino, nos abençoar.


Bate o sino pequenino, sino de Belém
Já nasceu Deus Menino para o nosso bem
Paz na Terra pede o sino alegre a cantar
Abençoe Deus Menino este nosso lar


Vamos minha gente, vamos à Belém
Vamos ver Maria e Jesus também
Já deu meia noite,já chegou Natal
Já tocou o sino lá na catedral


Bate o sino pequenino, sino de Belém
Já nasceu Deus Menino para o nosso bem
Paz na Terra pede o sino alegre a cantar
Abençoe Deus Menino este nosso lar


Hoje a noite é bela, juntos eu e ela
Vamos à capela, felizes a rezar
Ao soar o sino, sino pequenino
Vai o Deus menino, nos abençoar.


Bate o sino pequenino, sino de Belém
Já nasceu Deus Menino para o nosso bem
Paz na Terra pede o sino alegre a cantar
Abençoe Deus Menino este nosso lar


Vamos minha gente, vamos à Belém
Vamos ver Maria e Jesus também
Já deu meia noite,já chegou Natal
Já tocou o sino lá na catedral


Bate o sino pequenino, sino de Belém
Já nasceu Deus Menino para o nosso bem
Paz na Terra pede o sino alegre a cantar
Abençoe Deus Menino este nosso lar


Abençoe Deus Menino este nosso lar




Começamos a nos preparar para o grande dia. A chegada do "Bom Velhinho" com seu grande saco de presentes é esperado ansiosamente pelas crianças. Bom, pelo menos eu imagino que ainda seja assim. Ou não? Vixe, acho que estou arcaico. Estamos em pleno ano de 2013. Isso não existe mais. As crianças já sabem que Papai Noel não existe. A fantasia se extinguiu e a realidade se apossou do imaginário infantil. Que Pena né! É tão gostoso acreditar nessas ilusões. Pelo menos eu quando criança, sempre achei que essa figura tão simpática e bondosa existisse. Morria de medo só de pensar que se eu não tirasse notas boas na escola ou não tivesse um comportamento exemplar, o Papai Noel não iria me dar presentes. Que saudades dessa época! 

Na atual situação vejo em Shoppings os pais acompanhados dos seus filhos escolhendo os presentes que serão colocados embaixo da árvore de Natal. Sem meras fantasias, emoções e surpresas, os presentes são escolhidos até com uma certa exigência dos pequeninos. Afinal de contas, hoje eles tem pleno poder e autonomia de escolha. Quem me dera, na minha época não era assim. Escolher o que queria ganhar, nem pensar! Quando eu ganhava, era uma surpresa tão grande. A maioria das vezes não era o que eu queria mas mesmo assim me sentia feliz por ter ganhado um presente. Hoje não, as crianças escolhem e os pais fazem os gostos. Como aquela famosa frase: "Dou para os meus filhos aquilo que eu não podia ter quando criança". Será que isso é certo ou é uma visão distorcida? Será que é uma apologia para o consumismo ou um certa busca por status. Ou ainda posso dizer que é uma demostração de carência infantil por parte dos pais. Bem, não sei dizer, só sei que as coisas mudaram muito. O Natal deixou de ser um data comemorativa do nascimento do menino Jesus, para se transformar na época de chuvas de presentes. O consumismo imperialista tomou conta das famílias. Famílias? Oh meu Deus! Infelizmente são poucos que se reúnem e fazem ceias. Todos reunidos em volta da mesa, rezando e felizes por estarem se confraternizando, essa cena agora é rara. O conceito de família feliz agora só se vê em álbuns de fotografias antigas. Volto a dizer que muito coisa mudou. Enfim é uma nova era, um novo conceito. Posso dizer que tudo ficou muito frio. Estamos dando muita importância para o material e esquecendo o espiritual. O mundo está se tornando escravo de suas invenções materiais. 


Mas enfim Natal Chegando e ano novo também. É tempo de refletir no que fizemos e não fizemos neste ano. Também é hora de pensar no que queremos e iremos realizar no próximo ano. Perdas, ganhos, conquistas, vitórias, tudo isso vai ficar para atrás. Vamos começar algo novo, uma vida nova, um jeito novo um ano novo




As esperanças se renovam e estamos felizes por completarmos mais um ano. E que venham muitos anos ainda para todos nós. Esse ano comecei essa maravilhosa atividade de fazer blogs e espero que eu possa continuar. Claro, com humildade e ainda aprendendo a escrever, vou caminhando entre letras e parágrafos brincando de escritor.  Além disso ainda quero continuar com esperança no coração que tudo ainda vai melhorar. Sempre pode melhorar mais. Quero ser otimista e acreditar que o ano novo trará novas descobertas de cura de doenças, que não haverá guerras, que o mundo olhará para os mais necessitados, que não faltará alimentos para os mais pobres, que não teremos desastres naturais, enfim, só haverá acontecimentos felizes em 2014. A humanidade e o mundo precisa de renovação e novos pensamentos e novas atitudes. Lembrando que as atitudes devem partir de nós mesmos. Cada um pode melhorar um pouquinho e assim o mundo ficará melhor. Não queiram que só o seu próximo mude. Faça você a diferença! Assim poderemos juntos construir um novo mundo cheio de amor e de esperanças. 

Bom, quero aqui desejar a todos os meus amigos aqui do blog um Natal maravilhoso. Que o Papai Noel traga muitos presentes para vocês, mas também traga amor, felicidades, saúde e paz para todos. E que o ano novo venha com renovação e realização dos seus desejos. Que a saúde, a paz e a prosperidade sempre reine em suas vidas.

Feliz Natal e Ano novo para todos!

Beijos!

segunda-feira, 25 de novembro de 2013

Birthday again?


Dia 23 de novembro completei mais 1 ano de vida. Nossa, já 38 anos completos. Faltam somente 2 anos para chegar nos "enta", opâ, 40 anos! Sabe que eu sempre pensei que nunca iria chegar a essa idade. Acho que todo mundo pensa nisso né. Por que já ouvi várias pessoas dizendo a mesma coisa: "Nossa nunca pensei em fazer essa idade". Pois é gente, todo mundo faz aniversário e fica mais velho. Não sei dizer se é uma dádiva divina completar anos ou uma catástrofe chegar no dia do aniversário e lembrar que estou envelhecendo. Ai Meu Deus! Envelhecendo?? Isso lembra mais rugas, mais cabelos brancos, não não, isso não! Heeeeelp!!!! (risos).

Ai que tolice! Todo mundo passa por isso e comigo não seria diferente. As mesmas neuras e reflexões passam pela cabeça de várias pessoas. Até mesmo aquela  perguntinha que insistimos em fazer: "Será que vou morrer logo?". Pelas contas do rosário, como diz nosso amigo Felix, será que eu salguei a Santa Ceia para ficar teimando em pensar nisso. Ai pensamento ruim, xô para lá! kkkkkkk.

Mas deixando as brincadeiras de lado, ao mesmo tempo que vou para a realidade e sei que o envelhecimento e inevitável, eu tenho muito a comemorar. Sim comemorar com todo louvor e cheio de gratidão a Deus por permitir que eu chegasse aos 38 anos com muita saúde. Espero que ele continue me agraciando com esse presente tão precioso, a saúde. Agora o resto gente, é o resto. Vou vivendo, passando por dificuldades e por conquistas, vitórias e derrotas, tristeza e alegrias, olhando sempre para o horizonte e ganhando forças para continuar a trilhar os caminhos da vida. Um tropeço aqui, um tombo ali, faz parte da vida. O importante é nunca desistir dos sonhos e da vida. 

E a cada ano, sinto que as experiências vividas e os anos acumulados, me ajudam a entender os mistérios do ser humano e da vida. Agora sim, eu posso compreender muitas coisas que com a juventude eu não entendia. Como eu falo para muita gente, apenas com a maturidade vamos começar a enxergar e entender o que agora é incompreensível. Esse aprendizado da vida só é possível com o passar da idade. Na juventude eu não tinha o olhar tão crítico e minucioso que tenho hoje. Mas também ganhei mais ponderações e mais paciência diante de certas situações.

Comecei a entender também que festinha de aniversário também não é tão importante como antigamente eu achava que era.  Sabe que hoje em dia eu nem dou confiança para esse tipo de coisa. Bem sei, que é ótimo comemorar, mas se não tiver não me faz falta. Penso que a celebração maior está dentro da gente. Independente da festa no ambiente, temos que fazer festa no nosso coração e na nossa alma. Isso sim é importante. Eu atribuo toda essa maturidade primeiramente a Deus e depois ao meu querido companheiro que me ensina várias coisas da vida. 

Muitos "amigos" não me desejaram "feliz aniversário". Até postei no face alguns textos demonstrando minha indignação. Mas querem saber de uma coisa? Isso é bom, pois assim sei quem verdadeiramente se
preocupa comigo e me considera de verdade. Ora, bolas!!! Se não me consideram, eu posso então rebaixa-los de amigos para conhecidos. Olha que não é pouca gente, mas não tem problema. A gente vai vivendo e vai conhecendo as pessoas. Muitos com certeza darão a desculpa de esquecimento. Mas hoje em dia é difícil hein! Face avisa sempre quando tem aniversariantes na semana. Então essa desculpa não cola. Mas vamos deixar isso para lá.

Mais uma vez quero agradecer a Deus por esses anos de vida. Agradecer ao meu companheiro que eu amo muito que sempre está comigo em todos os momentos. E também agradecimentos a todos os amigos que reservaram um tempinho para me cumprimentar pelo meu Aniversário!

Beijos à todos!

quarta-feira, 13 de novembro de 2013

Desgastes na relação

Como é bom namorar! A emoção dos encontros, muitas vezes até às escondidas, nos remete à vivência e da descoberta do amor. O olhar buscando o olhar do amado(a), os carinhos, as "pegadas" ousadas, os beijos calorosos, são atos deliciosos que fizeram ou fazem parte da adolescência. Como eu postei anteriormente, esses momento não fizeram parte da minha adolescência, infelizmente. Apenas na minha fase adulta pude desfrutar desse prazer em plena magnitude.

É claro que namorar não é exclusividade somente dos adolescentes, muitos adultos continuam se dando ao deleite do namoro. E dou o maior apoio, por que namorar não tem limite de idade. Até mesmo na melhor idade, que aliás, eu acho muito fofo, pode e deve-se cortejar.

O coração batendo mais depressa ao pensar que está chegando a hora do encontro. A inquietude e a euforia da chegada do namorado(a), quem nunca viveu isso? É muito bom passar por essa fase e agora nos entregar livremente a essa nostalgia. Briguinhas tolas, ora quem nunca teve? É até sadio, porque depois vem a reconciliação e tudo fica bem melhor.

Após um longo tempo de namoro, vem o casamento ou a união estável. Vamos agora vivermos juntos e felizes. Como se diz popularmente: "Vamos juntar as escovas de dentes". Vamos viver um amor incondicional! Sem pensar em dinheiro, em família, em amigos, vamos simplesmente amar um ao outro. No começo tudo é uma maravilha, sexo então nem se fala, fazemos sexo todo dia e se possível toda hora. Então vem os apelidos carinhos: Benzinho, amor, Fofuxo(a) e etc.... Vivemos então uma história encantada. Dois seres se alimentando do puro amor. 

Com o passar dos anos, vamos nos acostumando com a "fantasia" e a aquela convivência que era tão amorosa, aos poucos vai se deteriorando. Os apelidos carinhosos  já não existem mais. No máximo ao chamar um ao outro começa-se a usar o próprio nome. Isso quando ainda existe o respeito, porque senão já começa os apelidos esdrúxulos. Beijos já começam a ser raridade. Carinhos então, já não existe tempo. Sexo acontece de vez em quando, apenas para satisfazer uma necessidade fisiológica.  Aquele olhar carinhoso para com o(a) amado(a), foi esquecido no passado. Alguns casais até admitem sentirem falta de tudo isso, mas reclamam que os filhos atrapalham. Que o tempo que eles tem disponível seriam tomados para cuidar de suas crias.

Infelizmente é a mais triste realidade. O ser humano tem o poder de se acostumar com tudo e de até esquecer de amar. Por que não continuar o namoro após a junção? Gente, eu sempre falo para as pessoas que tem convívios em comuns, o amor é como uma flor, temos que regar todo dia um pouquinho, senão morre. Se a teimosia e não cumplicidade do casal tomar conta da vida, com certeza, o amor vai acabar. A separação será resultado do desleixo de ambos. Todo dia temos que regar esse amor, com gentilezas, preocupações mutuas, carinhos e etc... Não é porque estamos casados que já está resolvido nossa vida. O amor tem que ser cultivado incansavelmente. A falta do diálogo e a não compreensão leva o casal, com certeza, ao desastre da relação. 

Esses per causos vão magoando e desgastando a relação, transformando a vida em comum, num fardo cansativo e problemático. Não deixem isso acontecer! O amor é lindo e Deus deixou para ser vivido e não para ser desperdiçado.