segunda-feira, 9 de setembro de 2013

Máscaras humanas: adereços imaginários


Confesso que estou empolgado com a criação do meu blog. Sinto aquela coceira no cérebro e nos dedos em criar posts diários. Um vício excitante e inegavelmente prazeroso em tornar público e compartilhar meus pensamentos e meu jeito de ser. Estou apaixonado e agarrado com meu blog. Fora a grande oportunidade de conhecer pessoas interessantes e inteligentes que com glamour e gentileza adicionam comentários. 

Bem, hoje vou dissertar sobre uma grande realidade e complexo fato: nossas máscaras. Não quero aqui julgar e ser pretensioso mediante ao assunto, mas apenas expor meus pensamentos e talvez até delírios.

Como um teatro, um palco somos muitas vezes obrigados a usa-las. Seja com a triste finalidade de esconder nossos sentimentos ou até mesmo para salvar certos momentos e situações. 

As máscaras disfarçam talvez nossas decepções emocionais quando não se quer demonstrar. Bloqueiam nossas feições expressivas interpretadas como julgamentos à comentários infelizes. Mesmo que expressar as nossas opiniões verbalmente seja o mais correto, a máscara é mais viável para determinadas situações cotidianas. Evitando problemas com o chefe no trabalho, com familiares e etc...

Não estou defendendo a falsidade, apenas estou esclarecendo e expondo a maravilhosa versatilidade do ser humano em se esconder e de interpretar personagens da realidade com o uso desse adereço imaginário. Ter duas ou mais faces não significa ser menos confiável. Eu até mesmo ouso em dizer que elas, escondem nosso verdadeiro ser. A obrigatoriedade se faz, quando queremos não sair do armário por exemplo, por motivo familiares ou por situações onde a complexidade da verdade causaria transtornos não imagináveis.

Seu uso também esta interligado a necessidade de ousar quando não temos coragem de executar com a cara limpa. Colocamos a máscara, vamos dizer, de cara de pau, e vamos em frente. Se faz necessário para conseguir nossos objetivos de maneira mais honesta possível. Às vezes por uma bobagem qualquer que nem sempre à necessidade, mas temos "vergonha" de usar nossos próprios rostos.


É claro que tem aqueles que fazem o uso constante de falsas máscaras diariamente. Essas sim, chama-las de falsas não seria injusto, de camaleões enganadores, que querem nos ludibriar. Por vantagens e por interesses escusos podem enganar aqueles que de certa forma não conseguem ver o verdadeiro por trás da máscara.

Enfim, posso afirmar que elas se fazem necessário em nossa vida. Quem nunca usou? Será que temos coragem suficiente para sermos nós mesmos em todas as situações da vida? Correr o risco, talvez, de se indispor com as pessoas, sem necessidade aparente, por causar de uma expressão facial que não conseguiu conter? Acho que não há porque.

Deixo aqui cair minha máscara e demonstrar sem medo, minhas opiniões no meu blog.

Boa noite a todos!!!!!!